Corte eleitoral boliviana nega problemas em registro de eleitores

La Paz, 11 abr (EFE).- A Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia negou hoje que 30% do registro de eleitores tenha problemas que ponham em dúvida a confiabilidade das eleições gerais previstas para o dia 6 de dezembro deste ano.

EFE |

"Em nenhum momento a Corte Eleitoral disse isso, é falso", afirmou hoje o presidente do órgão, José Luis Exeni, em declarações à Agência Efe.

Exeni lembrou as conclusões de relatórios de especialistas que têm fiscalizado o censo de eleitores, entre eles um elaborado por uma missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) que fala de 95% de confiabilidade nos registros.

O presidente da CNE denunciou a existência de "uma manipulação política" das explicações sobre o registro de eleitores dadas por ele na semana passada no Congresso boliviano.

Exeni sustentou que explicou aos parlamentares que havia a possibilidade do recadastramento de 700 mil registros, mas que estes não constituíam "nem irregularidades, nem anomalias".

Segundo o presidente da CNE, estes casos são de pessoas inscritas com um documento diferente da cédula de identidade - um passaporte, por exemplo - ou de indivíduos conhecidos como "homônimos perfeitos".

Exeni disse acreditar que a oposição está fazendo "uma guerra suja" contra o censo eleitoral com seus pedidos para a realização de um recadastramento total. EFE sam-ja/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG