Corte eleitoral ameaça suspender referendo na Bolívia

LA PAZ - A Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia ameaçou na quinta-feira suspender o referendo constitucional convocado para janeiro se o governo não revogar o estado de sítio em vigor no Departamento de Pando (norte). O prazo para a revogação é 23 de novembro, quando começa a campanha para o referendo, disse em entrevista coletiva o presidente da CNE, José Luis Exeni, que enviou uma carta nesse sentido ao presidente esquerdista Evo Morales.

Reuters |

A aprovação da nova Constituição é um dos principais projetos eleitorais de Morales. A Carta amplia a participação do Estado da economia, dá mais poderes à maioria indígena e promove uma reforma agrária.

Exeni disse que Morales não respondeu a duas cartas anteriores da CNE pedindo o fim do estado de sítio em Pando, na fronteira com o Acre, onde o governo interveio depois de um massacre de camponeses que La Paz atribuiu ao governador direitista do território, que foi preso.

O estado de sítio foi decretado em 12 de setembro e, de acordo com a Constituição, poderia durar 90 dias. Mas a lei de convocação do referendo, aprovada pelo Congresso em 21 de outubro, proíbe limitações às liberdades individuais durante a campanha.

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG