Corte colombiana rejeita Lei de Referendo para reeleição de Uribe

Bogotá, 26 fev (EFE).- A Corte Constitucional da Colômbia rejeitou hoje a Lei de Referendo que permitiria à população do país decidir sobre a possibilidade de o presidente Álvaro Uribe tentar se reeleger para um terceiro mandato nas eleições de 30 de maio, confirmou o presidente da Corte, Mauricio González.

EFE |

O presidente Uribe disse hoje que aceita e acata a decisão da Corte Constitucional e prometeu continuar servindo a seu país "de qualquer trincheira".

A Corte declarou "totalmente inexequível a Lei 1354 de 2009 pela qual se convoca um referendo constitucional", disse González em entrevista coletiva. Ele alegou inúmeras violações no processo.

O juiz confirmou que a decisão foi tomada por sete votos contra a Lei e dois a favor. Ele ressaltou que os nove magistrados que formam a Corte Constitucional atuaram com independência.

González explicou que, durante o trâmite da Lei, houve "um conjunto de irregularidades" vinculadas ao financiamento da campanha de coleta de assinaturas entre os cidadãos, além de outras anomalias que "configuram uma grave violação aos princípios de um sistema democrático".

De acordo com a Corte, os promotores do referendo gastaram "mais de seis vezes o autorizado pelas autoridades eleitorais e recebeu doações até 30 vezes mais do que o permitido". EFE agp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG