Corte alemã sentencia mãe pela morte de 8 bebês

BERLIM - Um tribunal alemão confirmou na segunda-feira a pena de 15 anos de prisão para uma mulher condenada por matar oito bebês seus e enterrar alguns deles em baldes e vasos de plantas. Sabine Hilschinz, formada em assistência odontológica na ex-Alemanha Oriental, havia recorrido da pena máxima que recebera neste caso, que chocou o país em 2005. O advogado dela pedia uma pena inferior a 10 anos.

Reuters |

Hilschinz foi condenada em 2006 por homicídio doloso, veredicto mantido em 2007 pelo principal tribunal alemão de apelações. Depois, porém, o tribunal determinou uma nova audiência, já que a primeira instância não havia avaliado o estado mental da mãe.

Na segunda-feira, o tribunal de Frankfurt an der Oder (leste) disse que não há sinais de que a mulher estivesse total ou parcialmente alheia às suas ações.

A polícia encontrou os corpos dos bebês embrulhados em sacos plásticos e enterrados em vasos de flores, baldes e num tanque de peixes de propriedade dela em Brieskow-Finkenheerd (leste alemão).

Descobriu-se que a mulher negligenciava os bebês, e o juiz do processo original disse que ela os deixava morrer porque considerava que as crianças prejudicavam seu casamento.

Em fevereiro, a ré disse à corte que era incapaz de compreender ou explicar suas ações.

As oito mortes ocorreram entre 1992 e 98. Um nono bebê morreu em 1988, mas esse caso já prescreveu.

(Reportagem de Kerstin Rebien)

    Leia tudo sobre: crimes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG