Correligionário da opositora Suu Kyi é detino em Mianmar

Bangcoc, 12 set (EFE).- Um dos mais principais líderes do partido da opositora Aung San Suu Kyi foi detido hoje pela Polícia de Mianmar, dias depois de o jornal americano The Washington Post ter publicado um artigo em que o político criticava o plano da Junta Militar birmanesa de realizar eleições em 2010.

EFE |

Win Tin, de 80 anos, foi detido em casa, nos arredores da cidade de Yangun, por quatro agentes da Brigada Especial da Polícia, informou o porta-voz da Liga Nacional para a Democracia (LND), Nyan Win.

"Win Tin foi levado esta manhã por quatro oficiais do serviço de inteligência da Polícia", disse Nyan Win, um dos três advogados de Suu Kyi, condenada em agosto a mais 18 meses de prisão domiciliar.

A detenção de Win Tin aconteceu um ano depois de ele ter deixado o presídio de segurança máxima Insein, onde passou 19 anos até receber uma anistia.

No artigo de sua autoria publicado na última quarta-feira, Win Tin classificou como um "engodo" as eleições que estão sendo preparadas pelo Governo do general Than Shwe.

O líder opositor também criticou o senador americano James Webb por não censurar o regime militar durante a recente visita que fez a Mianmar.

Atualmente, 2.100 birmaneses estão presos por motivos políticos.

Com Suu Kyi à frente, a LND ganhou as eleições presidenciais de 1990, cujos resultados nunca foram reconhecidos pelos militares, no poder há 47 anos. EFE grc/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG