Corredor humanitário é aberto para ajuda a deslocados por combates na RDC

Genebra, 31 out (EFE).- A ONU utilizará hoje um pequeno corredor humanitário que acaba de ser aberto de Goma até Kibali para levar ajuda a milhares de deslocados pelos combates dos últimos dias entre o Exército da República Democrática do Congo (RDC) e forças rebeldes.

EFE |

O anúncio foi feito pela porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Veronique Taveau, que afirmou que os voluntários darão a primeira ajuda de emergência à região de Kibali, a 10 quilômetros de Goma, capital da província Kivu Norte, cenário dos confrontos.

Taveau não pôde informar quem autorizou a passagem dos representantes da ONU, pois "ainda não se sabe precisamente quem controla o quê".

Já a porta-voz do Escritório de Coordenação da Ajuda Humanitária da ONU (Ocha), Elisabeth Byrs, garantiu que a situação é "muito complexa e confusa" e confirmou que o cessar-fogo declarado há dois dias pelos rebeldes se mantém, apesar de "a situação de segurança ser tensa".

Byrs ressaltou que as últimas informações recebidas da área comprovam que as forças armadas da RDC deixaram Goma, enquanto os rebeldes do Congresso Nacional da defesa do Povo (CNDP) se mantêm "a alguns quilômetros da cidade".

Informações de Kibali informam que nas últimas horas 45 mil deslocados haviam saído de dois acampamentos na cidade devido aos combates, uma situação que a ONU analisará hoje graças ao acesso que acaba de conseguir.

Já o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) afirmou hoje ter recebido informações alarmantes de que vários acampamentos de deslocados (com 50 mil pessoas) na cidade de Rutshuru, a 90 quilômetros de Goma, "foram esvaziados à força, saqueados e queimados". EFE is/fh/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG