Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Correa reitera satisfação por resgate de Betancourt

Quito, 3 jul (EFE) - O presidente equatoriano, Rafael Correa, ratificou hoje a satisfação do Governo do Equador pelo resgate da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e afirmou que o problema da violência está na Colômbia. Correa, em uma declaração que formulou durante um percurso pelo sul do país, reiterou a satisfação que causou no Equador a libertação de Betancourt, que ficou em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) durante mais de seis anos. O chefe de Estado reiterou que o problema da violência é da Colômbia, com cujo Governo manteve freqüentes trocas de acusações, porque Bogotá insinuou supostos vínculos do Executivo equatoriano com a guerrilha. O problema não é o Equador, é a Colômbia, insistiu o líder, segundo as declarações divulgadas pela Secretaria de Comunicação do Governo. Deixe-nos em paz, tranqüilos, acrescentou o presidente, após expressar o mal-estar pela Colômbia ter desejado, de forma freqüente, envolver o Equador em um problema que não é do país. Regulem seus problemas sem envolver o resto (de países vizinhos à Colômbia). Até quando temos que agüentar suspeitas e dar explicações por assuntos alheios, acrescentou Correa.

EFE |

Por outro lado, o ministro de Governo (Interior) do Equador, Fernando Bustamante, disse hoje aos jornalistas que Quito reconhece a legitimidade do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, e considerou desnecessário o pedido de Ingrid Betancourt de que se respeite a democracia colombiana.

Bustamante qualificou de "desnecessário" o pedido de Betancourt, que afirmou que Correa e o chefe de Estado da Venezuela, Hugo Chávez, "são aliados importantes" no processo de libertação de seqüestrados, mas esclareceu que "sob a condição que tem que ser o respeito à democracia colombiana".

"A advertência é desnecessária. Eu não posso dar uma visão oficial do Governo sobre essas declarações", sustentou Bustamante, que acrescentou que o Equador "tem absolutamente claro que o presidente Uribe é o presidente legitimamente eleito da Colômbia".

Betancourt também fez um apelo a Correa e Chávez para que "restabeleçam os vínculos de amizade, de fraternidade, de confiança com o presidente Uribe". EFE fa/db

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG