Presidente equatoriano e líder da Unasul reitera que tentará sanar o "greve conflito" entre os dois países

O presidente equatoriano e líder de turno da União de Nações Sul-americanas (Unasul), Rafael Correa, reiterou hoje que fará seus melhores esforços diante do "grave conflito" entre a Venezuela e a Colômbia, cuja relações diplomáticas foram quebradas.

"Como presidente da Unasul, tentarei mediar no conflito, pôr nossos bons ofícios", disse. No entanto, se perguntou "por que 15 dias antes de uma mudança de Governo na Colômbia foi gerado um conflito desta magnitude".

Em seu relatório semanal de trabalhos, Correa voltou a assegurar que o conflito poderia ter sido evitado "se tivesse sido manejado com um pouco mais de prudência e sensatez". O presidente responsabilizou novamente pela situação o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, e reiterou que o Equador tentou evitar o atual conflito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.