Correa quer Organização dos Estados Latino-americanos que inclua Cuba

Quito, 20 dez (EFE) - O presidente do Equador, Rafael Correa, defendeu hoje a criação da Organização dos Estados Latino-americanos derivada do Grupo do Rio, que inclua Cuba, e não dê espaço a países estranhos à realidade da região.

EFE |

Correa, em seu relatório semanal de trabalhos transmitido por rádio e televisão, expressou seu desejo de que esta organização seja criada em março, na próxima reunião do Grupo do Rio.

A nova entidade deve integrar todas as nações latino-americanas, "com Cuba e sem países estranhos a nossos valores, a nossos princípios e a nossos interesses", disse.

O líder equatoriano qualificou de "histórica" a decisão dos presidentes latino-americanos e caribenhos, que se reuniram esta semana em Costa do Sauípe, na Bahia, e formalizaram a entrada de Cuba no Grupo do Rio.

Assim, o Grupo do Rio fica composto por Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela, e a Comunidade do Caribe (Caricom), representada pela Jamaica.

Para Correa, a decisão tomada na Bahia foi um "passo transcendental" na integração latino-americana e uma mostra "dos novos ventos que sopram" na região.

"O que buscamos" é que o Grupo do Rio "se transforme na nova Organização dos Estados Latino-americanos", que substituiria, na discussão dos problemas regionais, a Organização dos Estados Americanos (OEA), com sede em Washington, explicou Correa.

A intenção é "não ir a Washington para discutir com os Estados Unidos, que nem entendem a região nem se interessam por ela e têm seus próprios objetivos", acrescentou.

O líder lembrou que Cuba esteve fora dos fóruns americanos e regionais devido ao embargo imposto pelos EUA.

"Vamos ver se o presidente (eleito, Barack) Obama realmente tem uma mudança na política externa dos EUA" e elimina o embargo comercial a Cuba, que "é insustentável, intolerável e injustificável no século XXI", declarou Correa.

O presidente confirmou que em 7 de janeiro viajará a Havana para uma visita de Estado de dois dias à ilha a convite do presidente de Cuba, Raúl Castro, com quem conversou nas cúpulas latino-americanas realizadas na Bahia. EFE fa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG