Correa propõe que Unasul seja a 4ª maior economia do mundo

Quito, 10 ago (EFE).- O presidente do Equador, Rafael Correa, assumiu hoje a direção temporária da União de Nações Sul -Americanas (Unasul) e propôs aos 12 países-membros, entre eles o Brasil, fortalecer a integração e transformar a região na quarta economia mais desenvolvida do planeta.

EFE |

De acordo com Correa, a América do Sul pode "formar a quarta maior economia do mundo", com um produto superior a US$ 2,9 trilhões anuais, com uma população de 300 milhões de pessoas espalhada por 17 milhões de quilômetros quadrados.

O presidente equatoriano fez a proposta após receber a Presidência temporária da Unasul das mãos da governante chilena, Michelle Bachelet, durante uma cerimônia na Sala Capitular do convento de Santo Agostinho, no centro colonial de Quito, no marco da cúpula presidencial da entidade.

A integração e a unidade latino-americanas, disse Correa, "são imprescindíveis" para resolver os problemas mais importantes da região, como a pobreza e a exclusão social.

O presidente equatoriano destacou a importância de criar definitivamente o Banco do Sul e um fundo regional de reservas, além de impulsionar outras formas de organização que consolidem a integração regional.

Correa também pediu a seus colegas para que fortaleçam a Unasul, após insistir na solicitação para que os países da região ratifiquem o tratado constitutivo do organismo, ao lembrar que nem todos já o fizeram.

O chefe de Estado do Equador também propôs a criação de um sistema monetário comum e a existência de uma moeda eletrônica para facilitar e agilizar as transações entre os países da região.

Correa deu como exemplo o que ocorreu na Aliança Bolivariana para as Américas (Alba), cujos países-membros assinaram a criação do Sistema Único de Compensação Regional (Sucre), e assegurou que a América do Sul não deve "depender de uma moeda extrarregional".

Segundo o presidente do Equador, a crise internacional é impossível de conter e, por isso, afirmou que é necessário tomar "medidas urgentes" para encarar seus efeitos.

Outra meta da Unasul proposta por Correa é a de conseguir a "cidadania sul-americana" para liberar o trânsito de pessoas na região, que chamou de "o espaço mais promissor do planeta". EFE fa/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG