As eleições gerais deste domingo no Equador se desenvolvem em transparência e calma, disse o presidente Rafael Correa, respondendo a denúncias do adversário Lucio Gutiérrez sobre uma suposta manipulação de eleitores.

"Pelo que se pode ver (...) tudo acontece com muita transparência. Há muita agilidade, muita calma", declarou o presidente à imprensa no porto de Guayaquil, onde acompanhou a mãe.

"Não sei se houve inconvenientes, mas são inevitáveis nestes processos", acrescentou Correa, que deve ser reeleito presidente.

O chefe de Estado votou mais cedo em Quito, deslocando-se para Guayaquil para acompanhar também a irmã Pierina, candidata à prefeitura desse porto, que se mantém como reduto da oposição.

Correa receberá as pesquisas de boca-de-urna em Batallón del Suburbio, um bairro pobre de Guayaquil às 22H00 GMT, 19H00 de Brasília, deste domingo.

Correa se apresenta com 49% das intenções de voto, seguido por Gutiérrez, com 24%, segundo pesquisa da empresa Santiago Pérez.

No total, 10,5 milhões de eleitores devem comparecer às urnas neste quarto processo eleitoral no país, nos últimos dois anos e meio, e o primeiro sob a atual Constituição, aprovada em referendo em setembro.

Além do presidente da República, estão sendo eleitos os ocupantes para cerca de 6.000 cargos, entre governadores e conselheiros municipais (vereadores) e provinciais.

SP/vel/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.