Correa garante que bases militares na Colômbia entrarão em agenda com EUA

Quito, 21 jan (EFE).- O presidente equatoriano, Rafael Correa, afirmou hoje que o uso de bases militares colombianas por tropas americanas estará na agenda do diálogo que a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) prepara com os Estados Unidos.

EFE |

Em entrevista à emissora de televisão "Canal Uno", Correa disse que a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, lhe enviou uma carta na qual agradeceu o convite da Unasul para conseguir uma aproximação em diferentes temas.

Os EUA aceitaram "iniciar os diálogos", ressaltou Correa, cujo país exerce a Presidência temporária da Unasul.

"Dentro dessa agenda, obviamente, terão que entrar as bases militares na Colômbia, (assunto) que é um foco de desestabilização para a região", acrescentou.

Correa questionou quem pode garantir que o sucessor do presidente colombiano, Álvaro Uribe, "não usará essas bases militares com outros Governos dos EUA para outros objetivos: controlar a região, enfrentar, criar conflitos armados nos países que não seguem a linha dos EUA, que os EUA consideram como inimigos".

Na carta enviada na terça-feira a Correa em sua qualidade de presidente da Unasul, Hillary "expressa o interesse por iniciar aproximações" com a organização.

A Unasul é formada por Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. EFE sm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG