Correa exige fechamento de canal de TV por divulgar gravação clandestina

Quito, 29 ago (EFE).- O presidente equatoriano, Rafael Correa, voltou hoje a criticar o canal de televisão Teleamazonas e disse que pedirá o fechamento da emissora, por ter divulgado uma gravação clandestina de uma reunião em seu escritório.

EFE |

Além disso, disse que processará o político Fernando Balda, do opositor Partido Sociedade Patriótica (PSP), por entregar a gravação ao canal, durante a apresentação de uma denúncia contra o Governo, acusado de mudar o texto da nova Constituição, aprovada em referendo em setembro de 2008.

Correa, muito incomodado, negou as acusações, assegurou que a gravação não estabelece o suposto esquema e disse que o assunto foi usado por Balda e pela "Teleamazonas" para atacar seu Governo.

Segundo o líder, a divulgação de uma gravação clandestina de uma reunião no escritório presidencial poderia ser crime de segurança nacional e expressou suas suspeitas de que o PSP tenha instalado microfones em seu gabinete.

"Gravaram, espionaram uma reunião no escritório do Presidente da República. Isso é um atentado à segurança nacional e este pobre homem (Balda) será preso", assegurou Correa, que também repreendeu o apresentador de notícias da "Teleamazonas", Jorge Ortiz. EFE fa/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG