Para Lucio Gutiérrez, presidente equatoriano é abusivo, prepotente e tenta imitar passos do venezuelano Hugo Chávez

No Brasil para acompanhar as eleições deste domingo, o ex-presidente do Equador Lucio Gutiérrez culpou o atual mandatário, Rafael Correa, pela crise institucional por qual passa o país. “Culpo o próprio Correa pela situação que temos no Equador. Ele é abusivo, prepotente e corrupto”, disse em entrevista ao iG .

Opositor de Correa, Gutiérrez - que governou o país de 2003 a 2005 - rechaçou todas as declarações de que a oposição estaria por trás de uma tentativa de golpe de Estado e atribuiu ao governo atual a instabilidade que tomou conta do Equador. “É ele (Correa) quem gera esse ambiente de instabilidade no país. Isso não é um golpe de Estado (...) é somente mais um protesto”, disse.

Ele acrescentou ainda que o presidente tenta se fazer de vítima quando fala em golpe de Estado, e o apoio dado por líderes latinoamericanos ao governo de Correa ocorre porque eles "se preocupam com a democracia".

Aliados

Para o ex-presidente e opositor, Correa tenta imitar os passos do aliado presidente venezuelano, Hugo Chávez. Em sua visão, o objetivo final do presidente equatoriano é implantar um modelo do chamado “socialismo do século 21” no Equador. “Tudo que o Chávez faz, Correa quer fazer. Segue tudo o que ordena. É o mesmo modelo que quer implantar no Equador”, avaliou ao denunciar a falta de liberdade de imprensa hoje no país.

Mais cedo, Correa afirmara que os protestos contra as bonificações dadas a policiais e militares eram “uma tentativa de golpe de Estado da oposição ”. “São certos grupos alocados nas Forças Armadas e na Polícia, basicamente o grupo da Sociedade Patriótica", afirmara à Radio Pública em referência ao partido político de Gutiérrez.

Após a tentativa fracassada de diálogo, nesta quinta-feira, o presidente equatoriano se negou a negociar enquanto houver manifestações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.