Santiago do Chile, 15 set (EFE) - O presidente do Equador, Rafael Correa, advertiu hoje de que, na reunião que a União de Nações Sul-americanas (Unasul) realizará hoje em Santiago sobre a crise da Bolívia, será visto se a integração regional é verdadeiramente efetiva ou puro blá blá blá. Aqui vamos ver se a integração é verdadeiramente efetiva ou puro blá blá blá, afirmou Correa ao chegar à capital do Chile para assistir à reunião, convocada de emergência pela governante chilena, Michelle Bachelet, presidente temporária da Unasul. Todos sabemos perfeitamente o que está acontecendo na Bolívia, aqui não cabem farisaísmos, estes fantasmas que achávamos expatriados da região e voltam a aparecer sob outras formas, com outras roupagens, como outros espectros, mas são os mesmos fantasmas de antes (...

)", acrescentou.

O presidente equatoriano ressaltou que "jamais" voltarão a aceitar ditaduras nem rompimentos da ordem democrática.

"Aqui viemos respaldar clara, frontalmente, incondicional, a democracia na Bolívia, representada por um presidente com extraordinária legitimidade democrática, como é Evo Morales", afirmou.

Já o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, assegurou que "há um compromisso de seguir trabalhando para que a institucionalidade democrática, para que o respeito, para que a tolerância, a paz e a solução pacífica das controvérsias" que podem ter os países da América do Sul "sejam resolvidos por essa via".

Além disso, disse que espera que a reunião dos chefes de Estado e líderes da Unasul "sirva para implementar estes princípios tão importantes, de defender a democracia, a liberdade, a tolerância e a solução pacífica das controvérsias".

Já estão em Santiago Morales e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, assim como o chefe de Estado venezuelano, Hugo Chávez, e se espera nos próximas minutos a chegada do governante da Colômbia, Álvaro Uribe.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a governante argentina, Cristina Fernández de Kirchner, também devem chegar nas próximas horas. EFE pg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.