Quito, 2 jul (EFE).- O presidente equatoriano, Rafael Correa, disse hoje que não sabe explicar por que enquetes divulgadas na Colômbia advertem sobre sua suposta baixa popularidade nesse país, com o qual mantém rompidas as relações diplomáticas há cinco meses.

Em seu habitual programa radial de sábado, Correa disse que há alguns dias viu uma enquete feita na Colômbia, em que, supostamente, 66% da população rejeitava o presidente equatoriano.

"Alguém pode me explicar que culpa tem o presidente Rafael Correa, que culpa tem o Equador, o que fizemos para ter esta rejeição na Colômbia?", perguntou o governante, após ressaltar que o conflito interno enfrentado pelos colombianos é um assunto que diz respeito exclusivamente aos líderes.

"Que culpa temos (...) em viver ao lado de um país que está em uma guerra civil?", questionou Correa.

Correa ressaltou hoje que o Governo francês, com o qual disse manter excelentes relações, sabe dos esforços feitos pelo Equador para libertar a Betancourt das mãos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), antes que fosse resgatada pelo Exército colombiano em 2 de julho.

"Temos excelentes relações com a França. O Governo francês nos estima muito, conhece os esforços feitos pelo Equador para libertar Ingrid Betancourt. Isso que não reconhecem nem sequer certos (países) vizinhos, a França sabe reconhecer", disse Correa.

Os franceses "sabem que o Equador não é cúmplice e, pior, co-autor do conflito colombiano (...), é vítima do conflito colombiano", acrescentou Correa, após insistir em que não sabe explicar o porquê de sua suposta impopularidade na Colômbia. EFE fá/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.