Correa diz que computadores das Farc apreendidos não estavam em acampamento

Quito, 17 mai (EFE) - O presidente do Equador, Rafael Correa, disse hoje que tem informação de que os computadores que a Colômbia afirma ter retirado do acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) bombardeado em 1º de março na verdade não estavam no local.

EFE |

"Não nos importa o que diga ou deixe de dizer a Interpol (Polícia internacional), o que diga ou deixe de dizer o Governo colombiano", disse Correa em referência ao pronunciamento da organização de que os supostos computadores das Farc não foram manipulados.

"Nós temos informação de que esses computadores não estavam no acampamento, mas tinham caído em poder da Inteligência colombiana muito antes", afirmou, sem dar outros detalhes, Correa em seu programa semanal de rádio, transmitido hoje de Lima.

Ele acrescentou que nos supostos documentos que Bogotá diz ter extraído dos computadores das Farc há várias contradições, como as referentes a datas sobre o financiamento de sua campanha eleitoral por parte das Farc.

O presidente relatou que nos supostos documentos se menciona um coronel Brito, ligado à recepção de dinheiro das Farc.

"Graças a Deus não há nenhum coronel Brito que tenha sido dirigente da Aliança País (partido governista), nem membro de meu Governo", assinalou.

Ele esclareceu que só conhece o coronel Jorge Brito, que participou do Governo de Alfredo Palacio.

O chefe de Estado ressaltou que se for verdade que a guerrilha deu US$ 100 mil a algum coronel Brito para a campanha presidencial de Correa, as Farc teriam sido "enganadas".

"Tenho que dizer, com muita pena às Farc, que foram enganadas, porque nós não recebemos qualquer dinheiro e jamais teríamos aceitado dinheiro de uma fonte ilegal", afirmou. EFE sm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG