Correa abre possibilidade de diálogo com prefeito opositor de Guayaquil

Guayaquil (Equador), 28 set (EFE).- O presidente equatoriano, Rafael Correa, abriu a possibilidade de dialogar com o prefeito opositor da cidade de Guayaquil, Jaime Nebot, depois da vitória alcançada, segundo resultados extra-oficiais, por seu projeto de nova Constituição no referendo realizado hoje.

EFE |

Correa, em entrevista coletiva oferecida em Guayaquil, sua cidade natal, também pediu coordenação nacional com base no novo marco jurídico que teria sido aprovado hoje pela população, e disse que nunca fechou a possibilidade de dialogar com Nebot.

O prefeito "foi quem fechou as portas ao diálogo", disse Correa, após insistir em que seu Governo dialogará "com todos os atores políticos legítimos, que tenham princípios éticos".

Correa disse que a vitória do "sim" à nova Constituição também foi registrada em Guayaquil, apesar de algumas pesquisas de boca-de-urna indicarem que a aprovação não chegou a 50% na cidade.

No entanto, o chefe do Estado lembrou que o "sim", segundo essas mesmas pesquisas, obteve entre 66% e 70% dos votos em nível nacional, o que configura, segundo ele, "uma surra" contra os grupos opositores.

Também reprovou vários comentaristas da imprensa que advertiam sobre uma divisão ou polarização no país com a possível vitória do "não" em Guayaquil.

"De que divisão falam, quando ganhamos em todas as regiões do país?", perguntou Correa, após afirmar que essas versões que falam de uma polarização certamente vêm de grupos de direita que foram derrotados nas urnas.

Como agora "ganharam as grandes maiorias, invisíveis durante tanto tempo", as minorias opositoras clamam pelo diálogo, disse Correa, que insistiu em que a votação de hoje foi uma "vitória contundente" do povo.

Além disso, disse que a nova Constituição garante o direito às autonomias regionais reivindicado por um setor da sociedade de Guayaquil.

Logo após terminar a votação, às 17h (19h de Brasília), em um discurso a seus partidários, Correa pediu "unidade", após afirmar que foi alcançada uma vitória "arrasadora".

"Venceu a nova Constituição. É um momento histórico que transcende muito as pessoas que estiveram mais visíveis neste processo, que é de todo um povo", disse Correa, afirmando que estará onde "o povo" precisar.

"Hoje, o Equador decidiu um novo país, as velhas estruturas foram derrotadas. Esta é a confirmação dessa revolução cidadã que oferecemos ao povo no ano de 2006", disse Correa em seu discurso, ao se referir ao ano em que ganhou as eleições.

Em uma efusiva declaração pública, disse que suas primeiras palavras são de "gratidão a Deus, que sempre acompanha os homens de boa vontade, ao povo, que não se deixou convencer pela desinformação, manipulação e amargura e deu um 'sim' contundente cheio de alegria, emoção e esperança".

O Tribunal Supremo Eleitoral ainda não deu os primeiros resultados oficiais, mas afirmou que acredita que apurará ainda hoje 50% dos votos. EFE fa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG