Corpos de 17 prisioneiros são encontrados em cidade síria

Ativistas dizem que mortos foram jogados nas ruas depois de terem sido baleados na cabeça

Reuters |

Corpos de 17 homens detidos pelas forças do presidente sírio Bashar al-Assad durante um ataque esta semana na cidade de Hama foram encontrados jogados nas ruas depois de terem sidos baleados na cabeça, disseram ativistas neste sábado.

Os assassinatos relatados marcam uma escalada em uma operação militar de cinco meses em Hama, localizada a 240 quilômetros ao norte de Damasco, onde os rebeldes armados estão agora apoiando os manifestantes depois que tanques invadiram a cidade mulçumana em agosto.

"A maioria foi morta com uma bala na cabeça. As correntes de ferro em que foram amarrados foram deixadas em suas pernas como uma mensagem para o povo a parar de resistir", Abu al-Walid, um ativista na cidade, disse à Reuters por telefone.

Outro ativista disse que os corpos tiveram suas mãos amarradas por fios de plástico e alguns tiveram as pernas acorrentadas. Eles foram jogados nas ruas de cinco bairros de Hama, na noite de quinta-feira.

"Eles são de várias idades. Um estava em seus 60 anos, outro tinha por volta de 40 anos e outros com cerca de 20 anos", disse ele, acrescentando que apenas três haviam sido identificados, e era desertor da polícia.

"Eles (as forças de Assad) parecem ter deixado os corpos de pessoas de um bairro em outro completamente diferente, o que torna difícil saber quem são", disse ele.

Não houve comentário por parte das autoridades sírias, que restringem o acesso da mídia independente do país.

    Leia tudo sobre: MUNDOSIRIAPRISIONEIROSMORTES

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG