Corpo do senador Ted Kennedy é enterrado nos Estados Unidos

O corpo do senador americano Edward Ted Kennedy foi enterrado na noite deste sábado no cemitério Nacional de Arlington, em Washington, ao lado das sepulturas de seus irmãos John e Robert. Kennedy morreu na noite de terça-feira, aos 77 anos de idade, devido a um câncer cerebral.

Redação com agências |

AFP
Caixão de Kennedy é enterrado no cemitério de Arlington

Antes do enterro, uma multidão saudou com gritos e aplausos a passagem do caixão pelo Capitólio, onde recebeu as últimas homenagens.

Com um pouco de atraso, o corpo de Kennedy chegou de avião, de Boston para a base aérea de Andrews, de onde uma caravana de limusines pretas, liderada pelo carro fúnebre, fez o último percurso do senador.

Dezenas de políticos, de colaboradores e ex-colaboradores de Kennedy durante seus 46 anos de vida pública receberam o cortejo fúnebre para uma breve cerimônia religiosa antes do sepultamento.

AFP
Carro com corpo do senador passa pelas ruas de Washington

O ritual de enterro foi presidido pelo cardeal e arcebispo emérito de Washington, Theodore McCarrick, amigo do ex-senador democrata de Massachusetts.

O religioso leu parte de uma carta que Kennedy enviou ao papa Bento XVI e que o presidente Barack Obama lhe entregou pessoalmente durante seu encontro recente.

Na carta, Kennedy, um católico fervoroso de ascendência irlandesa, comunicou ao papa seu grave estado de saúde por causa de um câncer cerebral incurável, e lhe pediu que rezasse por ele enquanto se preparava para sua "próxima etapa na vida".

AP
Família se despede do político

Na carta, continuou lendo McCarrick, Kennedy também confessou "ser imperfeito" mas que, fazendo um repasse de sua vida, se dedicou a "endireitar seu caminho", trabalhando pelos pobres e imigrantes, e lutando pela educação e contra a discriminação, as guerras e a pena de morte.

Figura histórica

Embora não tenha conseguido se eleger a presidente em 1980, Ted Kennedy foi lembrado durante três dias de luto nacional como um dos melhores legisladores da história do Senado americano.

Mais cedo, o presidente Barack Obama, os ex-presidentes George Bush, Bill Clinton e Jimmy Carter assistiram aos funerais católicos do político. Foram quase duas horas de uma cerimônia para mais de mil convidados, que contou com a presença de algumas das pessoas mais influentes do País.

Reuters
População acompanha enterro de Ted Kennedy em Arlington

Emocionado, Barack Obama, qualificou Kennedy como a "alma do Partido Democrata" . O mundo se lembrará de Ted Kennedy como o defensor dos pobres, a alma do Partido Democrata e o Leão do Senado dos Estados Unidos", declarou. Obama se referiu ao "caçula da família que se tornou seu patriarca, o sonhador inveterado que se tornou sua rocha".

AFP
Victoria, viúva de Kennedy,
durante o enterro
No elogio fúnebre pronunciado neste sábado durante a missa de corpo presente organizada na basílica Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Boston (Massachusetts, nordeste dos EUA), Obama também mencionou "a resistência e o humor" de Ted Kennedy, falecido terça-feira aos 77 anos das consequências de um tumor do cérebro, que "venceu mais sofrimentos e tragédias que a maioria dentre nós nunca conhecerá".

"Em vez de se tornar amargo e endurecido, ele se transformou em alegre combatente, que lutou pelos direitos dos outros e se tornou o maior legislador de nossa época", prosseguiu o presidente americano.

Biografia

Ted Kennedy, nascido em Boston (Massachusetts), em 22 de fevereiro de 1932, era o mais novo dos nove filhos de Joseph Kennedy e irmão do ex-presidente John F. Kennedy e do também político Robert Kennedy, ambos já mortos.

Começou sua educação na Milton Academy e prosseguiu os estudos na Universidade de Harvard, de onde foi expulso por deixar que outro aluno fizesse uma prova em seu lugar e onde destacou como esportista.

AP
Políticos participam de missa em homenagem a Ted Kennedy

Após servir como militar na França e na Alemanha entre 1951 e 1953, foi readmitido novamente em Harvard, onde se graduou em ciências políticas em 1956. Três anos mais tarde, concluiu seus estudos em direito na Universidade de Virgínia.

Poucos tempo depois, já começou a trabalhar na campanha à Presidência de John F. Kennedy e atuou como promotor assistente no condado de Suffolk (Massachusetts). Em 1962, se tornou o senador mais jovem do país, ocupando a vaga deixada pelo irmão, que tentava a chefia de Estado.


Clique aqui para ver o infográfico sobre a vida de Ted Kennedy

Em junho de 1964, em plena campanha eleitoral para reeleição como senador, sofreu um acidente de avião que lhe rendeu um problema nas costas.

Foi reeleito senador, cargo que revalidou sucessivamente em 1970, 1976, 1982, 1988, 1994, 2000 e 2006.

AP

O senador era um dos mais respeitados políticos dos EUA

Após o assassinato do irmão Robert, se retirou momentaneamente da política, mas voltou e, em 3 de junho de 1969, se tornou o porta-voz mais jovem da história do Senado.

Ted Kennedy tentou ser o candidato de seu partido nas eleições presidenciais de 1980, concorrendo com Jimmy Carter, que acabou escolhido pelos democratas.

Ligado à ala progressista do Partido Democrata, foi membro de vários comitês do Senado, entre eles o Judicial, o de Trabalho e o de Saúde, Educação e Pensões.

Seu trabalho no Senado foi ligado também a refugiados, controle da venda de armas nos EUA, luta pelo desarmamento e criação de um sistema gratuito de saúde.

O senador gerou grande polêmica no país ao declarar que a invasão do Panamá por tropas militares americanas, em 1989, violava tanto a Carta das Nações Unidas como a da Organização dos Estados Americanos (OEA).

No entanto, o maior escândalo de sua carreira política foi em 18 de julho de 1969, quando sofreu um acidente de trânsito que acabou na morte de sua acompanhante, Mary Jo Kopechne, uma antiga voluntária na campanha presidencial de Robert, em 1968.

Embora tenha sido declarado inocente, o incidente marcou sua vida política. Casado desde 1958 com Joan Bennet, com quem teve três filhos, se divorciou em 1981.

Em 3 de julho de 1992 casou-se com a namorada de vários anos, a advogada Victoria Reggie, 22 anos mais jovem e mãe de dois filhos de um casamento anterior.

AP

Ted faz discurso no Senado dos EUA

Em 17 de maio de 2008, foi hospitalizado no Hospital Geral de Massachusetts em Boston, após ter sofrido aparentemente convulsões. Três dias depois, em 20 de maio, teve um tumor cerebral maligno diagnosticado.

Durante o almoço realizado no Capitólio após a posse de Barack Obama, em janeiro deste ano, sofreu uma convulsão e teve que ser retirado de maca do local.

Em 12 de agosto de 2009, Obama o condecorou com a Medalha da Liberdade, máxima honra civil nos EUA, que foi recebida por sua filha Kara dado seu delicado estado de saúde.

Leia também:

Saiba mais sobre: Ted Kennedy

    Leia tudo sobre: ted kennedy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG