Corpo de PM que trabalhava como voluntário no Haiti é reconhecido

A Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) confirmou nesta quinta-feira o reconhecimento do corpo de mais uma vítima brasileira, morta no terremoto que atingiu o Haiti no dia 12. O tenente Cleiton Batista Neiva, de 33 anos, estava na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) no momento da tragédia.

Agência Brasil |

Divulgação
O tenente Cleiton Batista Neiva (à dir), em foto de 2006

O tenente Cleiton Batista Neiva (à dir), em foto de 2006

A PM destacou que o reconhecimento, ainda extraoficial, foi feito por um amigo do tenente. A confirmação oficial deverá ser feita em breve pela ONU.

Batista havia pedido licença da PM para tratar de interesse particular e, em 2007, viajou ao Haiti para trabalhar voluntariamente como oficial de segurança da ONU.

Ele já havia participado da Missão de Paz brasileira no país entre 2005 e 2006. Por causa do vínculo criado com o país caribenho, o policial decidiu retornar ao país para ajudar o povo haitiano.

A confirmação aumenta para 22 o número de brasileiros mortos na tragédia. Além de Neiva, morreram 18 soldados brasileiros da Missão de Paz da ONU , a médica pediatra e sanitarista Zilda Arns , o diplomata Luiz Carlos da Costa e uma civil não identificada a pedido da família . A menina era adotada por uma família europeia e possuía dupla cidadania.

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremototerremoto no haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG