Corpo de Padre Pio é exposto para fiéis na Itália

Centenas de peregrinos visitaram, nesta quinta-feira, na pequena cidade de San Giovanni Rotondo, na Itália, os restos mortais de Padre Pio, um monge reverenciado que teve seu corpo exumado no 40º aniversário de sua morte.

AFP |

O santo italiano, elevado a São Pio de Pietrelcina após a canonização, é cultuado por milhões de pessoas em todo o mundo, já que muitos cristãos acreditam que ele possuía, permanentemente, chagas nas mãos similares aos estigmas, as feridas da crucificação de Jesus Cristo.

Os restos mortais, exibidos em uma urna de vidro, foram cobertos com um manto negro com capuz, enquanto uma máscara, que relembra o rosto do monge, cobria o a face do religioso.

A máscara de silicone, representando a característica face com barba do monge, é uma das imagens mais populares na Itália e pode ser vista por todo o país em casas, restaurantes e até mesmo em táxis.

O cardeal Jose Saraiva Martins, o "ministro" do Vaticano para os Santos, celebrou, na manhã desta quinta-feira, uma missa para a multidão, marcando o início dos noves meses em que os peregrinos poderão ver o corpo exumado de Padre Pio.

A multidão se concentrou na praça da igreja de Santa Maria das Graças, onde os restos mortais se encontram.

O número de peregrinos foi bem menor que os 50.000 calculados inicialmente, e nem chegou a 15.000, segundo o serviço de imprensa do Vaticano.

Contudo, espera-se que centenas de milhares visitem o corpo do padre ao longo desses nove meses, apesar do santo continuar sendo uma figura controversa.

Elena Fonte, de 69 anos, veio de Valle d'Aosta, noroeste da Itália, e afirma que dirigiu toda a noite para comparecer ao evento. "Nós reverenciamos Padre Pio", disse.

Outro peregrino, Maurizio Proietti, afirmou à AFP que ele e sua mulher sobreviveram a um grave acidente de carro graças a Padre Pio. "Eu nem sabia quem ele era, mas no restaurante em que estávamos um pouco antes do acidente, um homem nos deu um desenho de Padre Pio".

Nesse tom, se podia ver um grupo que levava um cartaz escrito "Gdansk", a cidade polonesa onde morou o papa João Paulo II, que canonizou Padre Pio em 2004.

Mais de 75.000 pessoas de todo o mundo já reservaram visitas aos restos mortais do santo, segundo a Ordem Capuchinha.

San Giovanni Rotondo, onde o padre passou a maior parte de sua vida, é praticamente dedicada ao religioso. A cidade conta com dezenas de lojas com lembranças do santo e até mesmo um canal de televisão que só exibe programas sobre o monge.

O corpo de Padre Pio foi exumado em março para que especialistas pudessem prepará-lo para exibição pública. O caso provocou polêmica entre alguns devotos, que consideraram uma ação "profanadora" e temiam que o corpo fosse levado para outra igreja.

nou-gd/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG