Corpo de líder morto em operação contra as Farc chega a Bogotá

Mono Jojoy, número 2 da guerrilha, foi alvo de um bombardeio lançado pelos militares na quinta-feira

iG São Paulo |

O corpo do guerrilheiro conhecido como Mono Jojoy, número 2 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) chegou a Bogotá em meio a fortes medidas de segurança. Jojoy, chefe militar da guerrilha, morreu em operação das forças de segurança colombianas no departamento (Estado) de Meta, centro do país.

Após a chegada de um avião que também levava outros corpos de guerrilheiros mortos na "Operação Sodoma", os restos mortais foram levados por veículos especiais ao Instituto de Medicina Legal.
A Justiça fará testes para confirmar que efetivamente se trata de Víctor Julio Suárez Rojas, verdadeiro nome do guerrilheiro.

AFP
Corpo de Mono Jojoy chega a Bogotá


Acredita-se que, nas próximas horas, as autoridades legistas entreguem suas provas, assim como outras que permitam conhecer as identidades dos demais abatidos.

Horas antes da chegada do corpo de Mono Jojoy o ministro colombiano de Defesa, Rodrigo Rivera, disse que a única morte confirmada na operação das forças de segurança contra as Farc era a desse líder, embora tenha mencionado que os militares encontraram sete corpos no local, enquanto outras fontes elevaram o número a 20.

"Somente temos informação sobre a morte de 'Mono Jojoy'", afirmou Rivera em alusão às informações que foram publicadas na imprensa sobre a suposta morte de Henry Castelhanos Garzón, conhecido como "Romaña", e também membro da cúpula do grupo guerrilheiro.

Mono Jojoy

A morte de Mono Jojoy foi o mais duro golpe contra o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde que seus dois principais dirigentes morreram em 2008.



Ele foi alvo de um bombardeio lançado pelos militares na zona rural de La Escalera, no município de La Macarena, departamento de Meta, juntamente a outros 20 guerrilheiros.

O governo da Colômbia oferecia uma recompensa de US$ 2,7 milhões por Briceño, considerado pelas Forças Armadas o líder guerrilheiro mais violento e sanguinário e acusado de centenas de assassinatos, massacres e sequestros durante o conflito interno colombiano. Ele foi o idealizador da estratégia das Farc de seqüestrar policiais e militares para trocá-los por guerrilheiros presos.

Víctor Julio Suárez Rojas, apelidado de Jorge Briceño ou Mono Jojoy, nasceu em fevereiro de 1953, em Cabrera, no departamento de Cundinamarca, e era membro do secretariado - a instância máxima política e militar das Farc.

Suárez Rojas teria se vinculado ao grupo armado em 1975 como guerrilheiro raso, e pouco a pouco foi subindo na organização até se converter em chefe militar.

* Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: mono jojoycolômbiafarc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG