Corpo de ex-jornalista do 'News of the World' passa por autópsia

Responsável por acusações contra ex-porta-voz de Cameron, Seah Hoare foi encontrado morto em sua casa

iG São Paulo |

AP
Foto de arquivo mostra ex-repórter do News of the World, Sean Hoare, que foi encontrado morto no Reino Unido
O corpo do ex-jornalista do tabloide britânico " News of the World " Sean Hoare passou por uma autópsia nesta terça-feira para que a causa de sua morte seja determinada, de acordo com a polícia do condado de Hertfordshire, na Grã-Bretanha.

Hoare, que tinha 47 anos, foi encontrado morto na última segunda-feira em sua casa em Watford, a 30 km de Londres.

Ele foi o responsável por muitas das denúncias contra Andy Coulson , ex-editor do jornal e ex-porta-voz do governo britânico, acusado de incentivar funcionários a interceptar mensagens de celular de políticos e celebridades para obter informações exclusivas para reportagens.

A polícia afirmou que o corpo de Hoare foi encontrado pela manhã e que ainda estava investigando as causas de sua morte, mas que não considerava o caso suspeito.

Segundo um porta-voz da polícia local, a morte de Sean Hoare está sendo tratada até o momento como 'sem explicação'. O corpo do ex-jornalista ainda não foi formalmente identificado.

Desde que o caso dos grampos veio à tona, Hoare deu entrevistas detalhando a conduta profissional no "News of the World". Ao programa Panorama, da BBC, ele disse que as escutas telefônicas eram "endêmicas" no jornal e afirmou ainda que Coulson havia lhe pedido para colocar grampos.

Em uma entrevista ao jornal "The New York Times", Hoare afirmou que a conduta ilegal era muito mais comum no "News of the World" do que a direção do jornal admitiu quando começaram as investigações.

Renúncias

O "News of the World", que teve sua última edição publicada no dia 10, é acusado de ter tido acesso ilegalmente a mensagens de celulares de mais de 4 mil pessoas.

Em um dos últimos desdobramentos do caso, o comissário assistente da polícia metropolitana de Londres, John Yates , deixou o cargo em meio à pressão por explicações sobre sua ligação com um ex-jornalista da publicação, Neil Wallis .

Wallis foi preso e liberado após pagar fiança na última quinta-feira. Ele é suspeito de conspiração para interceptar conversas e mensagens telefônicas.

O chefe da polícia metropolitana e o mais alto oficial de polícia da Grã-Bretanha, Paul Stephenson , renunciou no domingo, após enfrentar críticas por ter contratado Neil Wallis como relações públicas.

Nesta segunda-feira, descobriu-se que outro ex-editor do "News of the World" trabalhou para a Scotland Yard como intérprete, interrogando testemunhas e suspeitos, enquanto era empregado do jornal.

Com BBC

    Leia tudo sobre: news of the worldcameronmurdochgrã-bretanhagrampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG