Seul, 19 jun (EFE).- As duas Coreias começaram hoje seu terceiro encontro bilateral do ano no parque industrial de Kaesong para abordar o futuro do complexo, situado em território norte-coreano, informou a agência sul-coreana Yonhap.

A reunião acontece depois de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu colega sul-coreano, Lee Myung-bak, reafirmarem na terça-feira em Washington uma postura comum contra as provocações norte-coreanas.

A Península coreana vive uma escalada de tensão após o segundo teste nuclear realizado pelo regime de Kim Jong-il no dia 25 de maio, acompanhado ainda pelo lançamento de vários mísseis de curto alcance, o que fez com que o país fosse mais uma vez punido através de uma nova resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Seul voltou a insistir hoje em que a prioridade de seu Governo é discutir a libertação do trabalhador sul-coreano, acusado de criticar o regime comunista e incitar uma funcionária a desertar.

"A libertação de nosso trabalhador detido é uma prioridade e vamos trabalhar para colocá-lo em breve em liberdade", disse Kim Young-tak, diretor-geral do escritório de Kaesong e enviado de Seul para liderar a delegação sul-coreana.

A reunião bilateral acontece também depois de Pyongyang exigir em seu segundo encontro, realizado na semana passada, aumentar de US$ 70 para US$ 300 o salário mensal de seus trabalhadores no parque industrial.

Além disso, Pyongyang reivindicou um aumento de até US$ 500 milhões no aluguel do complexo que recebe aproximadamente 100 empresas sul-coreanas, apesar de Seul já ter pagado US$ 16 milhões para seu uso durante os próximos 50 anos.

O parque industrial de Kaesong, a 60 quilômetros de Seul e inaugurado em 2005, acolhe 106 pequenas e médias empresas sul-coreanas, gerando emprego a 38.867 norte-coreanos. EFE ce/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.