SEUL - O funeral no domingo do ex-presidente da Coreia do Sul Kim Dae-jung, cujos esforços para reconciliar a dividida península garantiram a ele um Nobel da Paz, foi marcado pelas primeiras conversas entre autoridades de peso das Coreias em quase dois anos.

AP
Funeral de Kim na Coreia do Sul

Funeral de Kim na Coreia do Sul

Kim, que faleceu na terça-feira aos 85 anos, foi uma força propulsora da democracia na Coreia do Sul. Em 2000, ele liderou o primeiro summit de líderes do Sul e do Norte.

O líder norte-coreano Kim Jong-il enviou uma delegação ao Sul em luto pela morte do ex-presidente, com uma mensagem ao atual presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, que tem os 18 meses no poder marcados por uma deterioração nas relações entre os dois lados.

AP
Líderes se encontram

Lee se reúne com representante de Kim Jong-il

A delegação se reuniu com Lee, no último sinal de que a empobrecida Coreia do Norte está abrandando seu discurso após um teste nuclear em maio e lançamentos de mísseis terem deixado a nação ainda mais isolada internacionalmente.

Autoridades disseram, porém, ser muito cedo para esperar uma melhora nas relações entre o Norte e o Sul.O encontro durou cerca de 30 minutos e o conteúdo da mensagem a Lee não foi revelado.

Segundo a agência Yonhap, cerca de 20 mil pessoas compareceram ao funeral do ex-presidente sul-coreano, na Assembleia Nacional.

Leia mais sobre: Coreia do Norte - Coreia do Sul

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.