Coreia do Sul usará cães clonados em alfândegas

Autoridades alfandegárias da Coreia do Sul anunciaram que um grupo de seis cães farejadores clonados passará atuar no principal aeroporto internacional do país para buscar eventuais passageiros carregando drogas. Os animais â¿¿ anunciados como os primeiros cães farejadores clonados do mundo â¿¿ começarão a atuar na alfândega após terem passado por dezesseis meses de treinamento.

BBC Brasil |

De acordo com Abby Mawdsley, da editoria de Ásia Oriental da BBC, os animais são cópias genéticas de um único cão da raça labrador que era conhecido como um excelente farejador de drogas ilegais.

Segundo Mawdsley, todos os cachorros foram batizados como Toppy, nome criado a partir da junção das palavras inglesas "puppy" (cachorrinho, em tradução livre) e "tomorrow" (amanhã).

Um sétimo cão que faz parte do grupo não completou o treinamento devido a um ferimento.

A ideia de usar cães clonados no serviço surgiu devido ao fato de que, segundo a Alfândega da Coreia do Sul, apenas um terço dos cães farejadores conseguem se tornar aptos para o trabalho mesmo após meses de treinamento.

O serviço alfandegário da Coreia do Sul pretende aumentar o número de cachorros atuando na busca por narcóticos com a medida.

Os clones foram produzidos em 2007 por cientistas da Universidade Nacional de Seul, que desenvolveram o primeiro cão clonado em 2005.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG