Coreia do Sul realizará manobras para repelir infiltrações norte-coreanas

Objetivo é 'colocar em prática nossa defesa para repelir uma infiltração surpresa', afirmou um militar sul-coreano

iG São Paulo |

O Exército sul-coreano realizará manobras na sexta-feira e no sábado para repelir uma eventual infiltração norte-coreana em suas cinco ilhas no Mar Amarelo, na fronteira com a Coreia do Norte, informaram fontes militares nesta terça-feira.

Os exercícios contarão com a participação de um número indeterminado de efetivos do Exército e da Marinha sul-coreana, segundo fontes da junta de chefes do Estado-Maior citadas pela agência local "Yonhap".

"As manobras desta semana têm como objetivo colocar em prática nossa defesa e habilidade para repelir uma infiltração surpresa em alguma das ilhas da fronteira do Mar Amarelo", indicou uma das fontes militares.

A zona continua muito instável desde a troca de tiros de artilharia entre as duas Coreias em 23 de novembro, quando o Exército norte-coreano bombardeou a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, a pouco mais de uma dezena de quilômetros do litoral norte-coreano.

O incidente, que custou a vida de dois civis e dois militares sul-coreanos, foi o primeiro ataque de artilharia contra a população civil desde o fim da Guerra da Coreia (1950-53) e motivou a realização de várias manobras militares no litoral ocidental coreano, uma delas com a participação dos Estados Unidos.

Segundo a "Yonhap" informou no fim de dezembro usando militares sul-coreanos como fontes, a Coreia do Norte pode ter realizado manobras para simular uma infiltração nas cercanias da fronteira com a Coreia do Sul.

O Ministério da Defesa sul-coreano acredita que a Coreia do Norte aumentou o número de efetivos das forças especiais nos últimos dois anos para 200 mil, 50 mil deles desdobrados perto da fronteira.

Além da realização de mais manobras militares, a Coreia do Sul posicionou cinco aviões adicionais de patrulha antissubmarinos para se proteger de um possível ataque, indicou a imprensa nesta terça-feira. As Forças Armadas posicionaram no sábado cinco aviões de vigilância P-3CK, que se somam aos 11 aviões antissubmarinos que já patrulhamos o mar diante do litoral oeste e leste, informou o jornal JoongAng Ilbo.

"A medida tem o objetivo de melhorar a capacidade para detectar submarinos, depois do ataque da Coreia do Norte contra o barco de guerra (sul-coreano) Cheonan", indica o jornal, citando fontes oficiais.

Seul, apoiada por uma investigação multinacional, culpou Pyongyang de ter torpedeado o barco de guerra Cheonan em março de 2010, matando 46 marinheiros, uma acusação que a Coreia do Norte nega de forma veemente.

*Com EFE e AFP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG