Coréia do Sul quer restringir importações de carne bovina dos EUA

Seul, 19 jun (EFE).- O presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, se comprometeu hoje a conseguir garantias de Washington para impedir a entrada em seu país de carne procedente dos Estados Unidos de gado com mais de 30 meses, mais suscetível ao mal da vaca louca.

EFE |

"Obterei a garantia do Governo americano para que a carne de gado com mais de 30 meses não chegue ao país, e espero que os Estados Unidos, como aliados da Coréia do Sul, respeitem a vontade do povo sul-coreano", disse Lee.

O presidente voltou a pedir desculpas aos cidadãos pela preocupação suscitada pela importação de carne bovina dos Estados Unidos.

O ministro de Comércio sul-coreano, Kim Jong-hoon, e a representante de Comércio Exterior americana, Susan Schwab, se reúnem esta semana em Washington para buscar uma solução para este problema.

Coréia do Sul e EUA firmaram em abril um acordo para abrir o mercado do país asiático à carne bovina americana.

Mas em 2 de maio teve início uma onda de protestos quase diários na Coréia do Sul, nos quais o Governo era acusado de priorizar objetivos políticos em detrimento de critérios sanitários. EFE ce/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG