Coreia do Sul negocia entregar piratas somalis a um terceiro país

Porta-voz de Exteriores do país diz que conversa com outras nações para que aceitem os criminosos vivos, mas custo dificulta

EFE |

SEUL - A Coreia do Sul negocia a entrega dos piratas somalis capturados durante a libertação do cargueiro Samho Jewelry a um terceiro país, embora com reservas, informou nesta segunda-feira uma fonte do Ministério de Exteriores sul-coreano à Agência Efe.

"Estamos negociando com outros países para que aceitem os piratas capturados vivos, mas há dificuldades, sobretudo no assunto monetário, já que os custos são altos", disse um porta-voz de Exteriores.

As forças especiais sul-coreanas libertaram na sexta-feira os 21 tripulantes do cargueiro de 11.500 toneladas após seis dias de sequestro nas águas do Mar Arábico, com o resultado de oito piratas mortos e cinco capturados com vida na embarcação.

A opção que parece mais provável é que os cinco piratas capturados sejam transferidos para a Coreia do Sul para serem processados, algo que será decidido com a chegada do cargueiro ao porto de Muscat, capital de Omã, esperada para esta quinta-feira, segundo a agência local "Yonhap".

Países vizinhos como o Quênia, Iêmen e Omã poderiam processar os piratas somalis, mas a Coreia do Sul não tem um acordo com essas nações para tratar o assunto de piratas capturados.

* Com EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG