Governo norte-coreano classifica novos exercícios como 'provocação' e 'obstáculos' para a paz e o diálogo

Soldados sul-coreanos simulam exercícios em praia do país
Reuters
Soldados sul-coreanos simulam exercícios em praia do país
Os Exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos começaram nesta terça-feira suas manobras militares anuais. Em resposta, o governo norte-coreano classificou os exercícios militares de "provocação".

As manobras mobilizarão 56 mil soldados sul-coreanos e 30 mil americanos, enquanto outros 3 mil participarão de bases estrangeiras em exercícios computadorizados até o dia 26 de agosto, segundo informou o comando conjunto de forças de ambos os países.

Além disso, forças do Reino Unido, França, Austrália, Canadá, Tailândia, Noruega e Dinamarca também participarão das manobras sob coordenação do Comando das Nações Unidas, o que elevará os participantes a 530 mil soldados no total.

Segundo o comunicado do comando conjunto da Coreia do Sul e dos EUA, os exercícios têm como meta reforçar a operabilidade, a logística e os trabalhos de inteligência entre os dois Exércitos, enquanto o Estado-Maior sul-coreano destacou que busca manter em prontidão as defesas contra a Coreia do Norte.

O Comando das Nações Unidas, liderado pelos Estados Unidos, usou sua missão no vilarejo de Panmunjom para informar o Exército norte-coreano sobre as datas dos exercícios militares e para garantir sua natureza "não provocativa".

No entanto, na semana passada a Coreia do Norte criticou as manobras em duas ocasiões, ao considerá-las um obstáculo para a paz e o diálogo, além de uma provocação.

Os exercícios que começaram nesta terça-feira também tentarão abrir caminho para que a Coreia do Sul assuma todas as competências de defesa a partir 2015.

Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.