Coréia do Sul clona cães farejadores para combater contrabando

Por Lee Jiyeou INCHEON, Coréia do Sul (Reuters) - Autoridades aduaneiras da Coréia do Sul encomendou sete clones do melhor cão farejador de malas de um aeroporto do país.

Reuters |

Os filhotes, nascidos em outubro e novembro do ano passado, são clones de um labrador chamado Chase. Eles vêm sendo treinados praticamente desde o nascimento e demonstram ter os genes --e o focinho-- necessários para combater o tráfico de narcóticos, de acordo com o Serviço Aduaneiro da Coréia do Sul.

'As diferenças são tão pequenas que eu realmente não consigo distinguir os filhotes', disse o treinador Kim Nak-seung na quinta-feira.

Para a clonagem, o Serviço Aduaneiro contratou um laboratório afiliado à Universidade Nacional de Seul, onde nasceu o primeiro cão clonado do mundo, Snuppy.

Os cachorros foram clonados por meio da transferência somática de núcleos celulares, técnica na qual uma cavidade é aberta no núcleo de um óvulo e, nela, é injetado o material genético do cão a ser clonado.

Como o laboratório é financiado pelo Estado, o Serviço Aduaneiro não precisou pagar pela clonagem, cujo preço estimado é de 60,470 milhões de dólares para cada cãozinho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG