Coreia do Sul bombardeará Norte se for atacada, diz ministro

Novo chefe da pasta da Defesa diz que país vai responder a eventual ataque norte-coreano a seu território

iG São Paulo |

O novo ministro da Defesa da Coreia do Sul, Kim Kwan-jin, afirmou nesta sexta-feira que o país bombardeará a Coreia do Norte se um novo ataque for realizado contra seu território. Na semana passada o Norte bombardeou uma ilha perto da disputada fronteira entre os dois países, matando dois militares e dois civis.

"Se houver novas provocações, nós certamente vamos usar aviões para bombardear a Coreia do Norte", disse Kim Kwan-jin, que assumiu o cargo após a renúncia de Kim Tae-young, criticado pela resposta pouco contundente ao ataque à ilha.

Além da troca ministerial, após o ataque a Coreia do Sul também reforçou a segurança no Mar Amarelo, e nesta quarta-feira colocou mísseis terra-ar na ilha de Yeonpyeong. Também já foram instaladas baterias K-9 e um sistema de lançamento múltiplo de mísseis.

Na quarta-feira, o chefe dos serviços de Inteligência da Coreia do Sul afirmou ser grande a probabilidade de que a Coreia do Norte ataque novamente. Won Sei-hoon disse a um comitê parlamentar que os ataques recentes ocorreram em meio a "disputas internas" sobre a sucessão do regime norte-coreano e à piora da situação econômica do país.

No mesmo dia, o Exército sul-coreano anunciou que entre 6 e 12 de dezembro irá realizar, sem parceiros, manobras navais em 29 pontos de suas águas, entre eles uma zona ao sudoeste da ilha de Daecheong, fronteiriça com a Coreia do Norte.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: MUNDOCOREIASMINISTROAMEACA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG