SEUL - A Coreia do Norte anunciou neste sábado que voltou a processar barras de combustível nuclear em sua principal usina atômica, com o objetivo de impulsionar seu poder contra as forças hostis, informou a agência estatal local KCNA.


"A volta do processamento de barras de combustível começou, como já foi anunciado em comunicado do dia 14 de abril do Ministério de Exteriores", apontou um porta-voz à KCNA.

Essa decisão indica que o regime comunista norte-coreano começou a extrair plutônio do combustível nuclear que armazena em sua central de Yongbyon, ao norte de Pyongyang, que teria sido reativada, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

Em 14 de abril, um dia após ser condenado pelo Conselho de Segurança da ONU pelo recente lançamento de um foguete de longo alcance, o regime comunista advertiu para um rearmamento nuclear e o boicote ao diálogo de seis lados para sua desnuclearização, no qual participam as duas Coreias, China, Japão, EUA e Rússia.

A Coreia do Norte decidiu ao mesmo tempo expulsar do país os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e dos Estados Unidos.

Segundo o porta-voz do Ministério de Exteriores norte-coreano, a decisão anunciada neste sábado "contribuirá para impulsionar a dissuasão nuclear em defesa própria a fim de fazer frente às crescentes ameaças militares das forças hostis".

Na sexta-feira, um comitê do Conselho de Segurança da ONU decidiu impor sanções a três firmas vinculadas com o aparato militar da Coreia do Norte por sua suposta participação no recente lançamento do foguete de longo alcance.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.