Coreia do Norte vai libertar logo funcionário sul-coreano--mídia

Por Jon Herskovitz SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte libertará um empregado sul-coreano nos próximos dias após detê-lo por cerca de cinco meses sob alegações de que teria insultado os líderes do governo comunista, informou a imprensa sul-coreana nesta terça-feira, citando fontes.

Reuters |

A libertação pode aliviar a tensão na península coreana -- que aumentou depois do teste nuclear do Norte em 25 de maio e de ameaças em atacar o Sul -- e suavizar preocupações entre investidores de que as tensões pudessem provocar a ruptura definitiva dos laços e até mesmo um conflito armado.

A emissora de televisão sul-coreana YTN disse que a libertação do homem identificado por seu nome de família Yoo pode ocorrer na quarta-feira, enquanto outros esperam que aconteça no fim da semana. Uma autoridade do Ministério da União não quis comentar as notícias veiculadas.

Hyun Jeong-eun, a presidente do Grupo Hyundai, que investe centenas de milhões de dólares em projetos na Coreia do Norte, foi a Pyongyang na segunda-feira para buscar a libertação do funcionário de sua empresa.

A visita ocorreu uma semana após o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton ter encontrado o líder Kim Jong-il em Pyongyang e assegurado a libertação de duas jornalistas norte-americanas que foram presas pela Coreia do Norte em março após terem sido acusadas de entrar ilegalmente no país.

Yoo está preso também desde março na Coreia do Norte na cidade de fronteira Kaesong.

(Reportagem adicional de Christine Kim e Cho Meeyoung)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG