Coreia do Norte rompe colaboração com AIEA e expulsa inspetores

Viena, 14 abr (EFE).- O Governo da Coreia do Norte anunciou hoje a suspensão de sua colaboração com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e a expulsão dos inspetores estrangeiros que fiscalizam a atividade do reator de Yongbyon.

EFE |

A decisão da Coreia do Norte foi comunicada pela própria AIEA, que, numa nota emitida em Viena, informa que Pyongyang resolveu reativar o reator de Yongbyon, em processo de desmantelamento.

Segundo Marc Vidricaire, porta-voz da agência atômica, ligada à ONU, o regime norte-coreano "solicitou a retirada de todas as equipes de contenção e vigilância", uma vez que "os inspetores da AIEA já não mais terão acesso às instalações".

A Coreia do Norte "também pediu aos inspetores que abandonem" o país "o mais rápido possível", diz o comunicado oficial da AIEA.

Até hoje, três inspetores da agência trabalhavam fiscalizando a usina nuclear de Yongbyon, com capacidade para reprocessar urânio e produzir plutônio, material usado na fabricação de bombas atômicas.

A nota da AIEA diz ainda que as autoridades de Pyongyang comunicaram sua decisão de reativar todos os reatores e de "continuar processando combustível nuclear".

Com o anúncio feito hoje, o regime norte-coreano muda os rumos de seu enfrentamento com a comunidade internacional por seu polêmico programa de armas nucleares.

Mais cedo, o Ministério de Assuntos Exteriores da Coreia do Norte já tinha dito que não participaria mais da negociação multilateral para o término de seu programa atômico.

Hoje, no entanto, não foi a primeira vez que Pyongyang anunciou a expulsão dos inspetores internacionais. Em 9 de outubro do ano passado, a AIEA teve vetado seu acesso à usina de Yongbyon.

Porém, quatro dias depois, o regime norte-coreano voltou atrás em sua decisão. EFE as/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG