WASHINGTON (Reuters) - A Coreia do Norte sinalizou que quer melhorar as relações com os Estados Unidos e deve retomar negociações para o desarmamento nuclear, disse o consultor de segurança nacional da Casa Branca, Jim Jones, neste domingo. Os norte-coreanos indicaram que vão querer uma nova relação, uma melhor relação com os EUA, afirmou Jones em entrevista no programa Fox News Sunday quando questionado sobre a visita do ex-presidente norte-americano Bill Clinton à Coreia do Norte na semana passada.

Clinton reuniu-se com o líder norte-coreado Kim Jong-il, em Pyongyang, para discutir a libertação de dois jornalistas dos EUA detidos pelo país comunista. Foi o norte-americano de posição mais representativa a encontrar-se com Kim em quase uma década.

Mais tarde, Jones disse ao programa Meet the Press da emissora NBC que Clinton enfatizou aos norte-coreanos que eles devem abandonar os planos de construir armas nucleares e retomar as negociações para o fim desses empreendimentos.

O governo de Barack Obama tem tentado persuadir a Coreia do Norte a retomar as negociações, enquanto ao mesmo tempo divulga que quer reforçar as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) para assegurar que as armas de destruição em massa do país asiático não sejam espalhadas.

O governo em Pyongyang, que testou em maio um dispositivo nuclear e tem lançado uma série de mísseis desde então, insistiu em negociações diretas com os EUA.

"Ele (Clinton) ressaltou que, se a Coreia do Norte realmente deseja voltar a fazer parte da família de nações de uma maneira crível, o caminho não passa pela construção de armas nucleares", disse Jones.

Washington classificou a visita de Clinton como uma atribuição particular.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.