Coreia do Norte propõe ao Sul novos encontros de entes separados

Por iniciativa da Cruz Vermelha, famílias afastadas pela guerra entre as nações nos anos 50 devem se reunir novamente

EFE |

A Coreia do Norte propôs à Coreia do Sul retomar ainda neste mês as reuniões temporárias de famílias separadas pela guerra entre as duas nações nos anos 50, segundo informou neste sábado a agência oficial norte-coreana "KCNA".

A iniciativa foi proposta na sexta-feira pela Cruz Vermelha da Coreia do Norte ao mesmo organismo da Coreia do Sul, e permitiria retomar encontros que foram realizados pela última vez há um ano.

As autoridades norte-coreanas ofereceram a Seul a possibilidade de as delegações da Cruz Vermelha dos dois países se reunirem em breve para organizar os encontros.

Um porta-voz do Ministério sul-coreano de Unificação disse neste sábado que a Cruz Vermelha do país recebeu com boa vontade a proposta norte-coreana, segundo a agência local "Yonhap".

O governo da Coreia do Norte quer que as reuniões aconteçam na semana festiva de Chuseok, no dia de Ação de Graças coreano, celebrado no dia 22, no monte norte-coreano de Kumgang, ao norte da protegida fronteira.

A proposta de Pyongyang acontece quando as relações com a Coreia do Sul atravessam fortes tensões por conta do afundamento em março de um navio de guerra sul-coreano , em incidente que causou 46 mortes, e que, segundo Seul, foi causado por um torpedo lançado por um submarino norte-coreano.

A divisão da península ao término da Guerra da Coreia (1950-53) separou também milhares de famílias. Esses encontros contam com idosos que não puderam ver seus parentes por mais de meio século. O último encontro de famílias separadas aconteceu setembro de 2009, também na semana de Chuseok.

As reuniões de famílias separadas começaram em 2000, após a histórica cúpula em Pyongyang entre o então presidente sul-coreano, Kim Dae-jung, e o líder norte-coreano, Kim Jong-il. Durante esta década houve 17 encontros, que permitiram o reencontro de cerca de 20 mil pessoas dos dois lados da fronteira.

    Leia tudo sobre: Coreia do NorteCoreia do Sulfamílias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG