Coreia do Norte promete 'dissuasão nuclear' contra ameaça dos EUA

Na sede da ONU, vice-chanceler norte-coreano acusou EUA de serem perturbadores da paz mundial

iG São Paulo |

A Coreia do Norte prometeu na quarta-feira reforçar sua "dissuasão nuclear" em resposta à ameaça representada pelos Estados Unidos, mas prometeu jamais usar seu arsenal nuclear para atacar ou ameaçar qualquer nação.

"Enquanto os porta-aviões nucleares dos EUA navegarem pelos mares do nosso país, nossa dissuasão nuclear jamais poderá ser abandonada, deve sim é ser mais reforçada", disse o vice-chanceler norte-coreano, Pak Kil-yon, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. "Os Estados Unidos não são defensores, e sim perturbadores, da paz", disse Pak.

Em seguida o vice-chanceler depois um tom mais moderado e disse que Pyongyang continua tendo como meta a eventual "desnuclearização da península coreana ... e a desnuclearização do mundo."

"Nossas armas nucleares não são um meio de atacar e ameaçar os outros, e sim uma dissuasão autodefensiva ... para contrabalançar a agressão e o ataque de fora", explicou.

Ele afirmou ainda que a Coreia do Norte é "um Estado nuclear responsável" e pronto a apoiar medidas de não proliferação voltadas para o gerenciamento seguro de material atômico, "em pé de igualdade com outros Estados com armas nucleares".

Comunidade internacional

Os Estados Unidos e muitos outros países se recusam a aceitar a Coreia do Norte, que abandonou em 2003 o Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP), como um país com legitimidade para possuir armas atômicas.

Ainda em seu discurso Pak criticou a "desprezível artimanha" de grandes potências que tentam derrubar regimes políticos alheios.

"Negar os direitos de outros países a escolherem seus próprios sistemas constitui em si uma violação dos direitos humanos dos seus povos", disse. "A Coreia do Norte é um desses países vitimizados."

O diplomata também citou o naufrágio da corveta sul-coreana Cheonan, ocorrido em março, incidente pelo qual Estados Unidos e Coreia do Sul culparam Pyongyang. 

Em  uma crítica às recentes manobras militares conjuntas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, Pak alertou Seul a "não criar tensão na península coreana ao realizar exercícios de guerra com forças do exterior e buscar uma abordagem de confronto".

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: coreia do norteassembleia da onunuclearseulpyongyang

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG