Coreia do Norte ordena saída de inspetores da ONU, diz AIEA

VIENA (Reuters) - A Coreia do Norte cancelou nesta terça-feira toda cooperação com os monitores nucleares da Organização das Nações Unidas (ONU) e ordenou a saída dos inspetores o mais rápido possível, disse a Agência Internacional de Energia Atômica (AEIA). A decisão de Pyongyang segue a declaração de que abandonaria as conversas entre seis países para seu desarmamento nuclear e que reativaria uma usina capaz de produzir plutônio para bombas, em uma resposta direta à reprovação da ONU de seu lançamento de um míssil de longo alcance.

Reuters |

"(A Coreia do Norte) informou hoje os inspetores da AEIA na usina de Yongbyon de que está cancelando imediatamente toda a cooperação com a AEIA", disse em comunicado um porta-voz da agência de inspeções da ONU, Marc Vidricaire.

"(O país) requisitou a remoção de todo os equipamentos de vigilância e restrição, e que inspetores da AEIA não terão mais acesso à usina".

Vidricaire disse que a pequena equipe de inspetores teve sua saída ordenada do país "o mais rápido possível".

A Coreia do Norte disse também à AEIA, órgão da ONU baseado em Viena, que decidiu reativar todas as instalações da usina de Yongbyon e que reiniciaria o reprocesso de combustível para plutônio.

O Conselho de Segurança da ONU condenou por unanimidade na segunda-feira o lançamento de um foguete de longo alcance no dia 5 de abril como contravenção ao veto da ONU e exigiu o cumprimento de sanções já existentes contra o país.

A Coreia do Norte já havia expulsado monitores da AEIA em setembro, mas readmitiu-os em outubro após chegar a acordo com Washington o que resolveu temporariamente as suspeitas sobre seu processo de desnuclearização.

(Reportagem de Mark Heinrich)

    Leia tudo sobre: coréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG