Coreia do Norte lança dois mísseis de curto alcance, diz Seul

(atualiza com nova informações sobre os mísseis). Seul, 4 jul (EFE).- A Coreia do Norte lançou nesta sexta-feira dois mísseis de médio alcance do tipo Scud a partir de sua costa leste, disseram fontes do Governo sul-coreano citadas pela agência local de notícias Yonhap.

EFE |

Os dois projéteis parecem ter sido lançados por volta das 8h locais (20h de sexta-feira em Brasília) de uma base militar próxima à cidade litorânea de Wonsan, no sudeste da Coreia do Norte, com um alcance de quase 500 quilômetros, segundo a citada fonte.

O lançamento ocorre dois dias depois de a Coreia do Norte ter disparado dois mísseis de curto alcance também de sua costa leste, em direção ao Mar do Japão, e coincide com o Dia da Independência dos Estados Unidos, comemorado em 4 de julho.

Segundo as autoridades sul-coreanas, os mísseis lançados hoje, de tipo terra-terra, são mais perigosos que os quatro da quinta-feira, já que podem atingir alvos em uma maior distância, apesar de continuar sendo considerados de curto alcance.

Seu alcance seria suficiente para cobrir todo o território da Coreia do Sul. Segundo Seul, acredita-se que o regime comunista conta com cerca de 700 unidades de vários tipos destes mísseis em seu arsenal.

Os serviços de Inteligência da Coreia do Sul já tinham informado no mês passado que o vizinho comunista se preparava para testar vários mísseis, incluindo um de longo alcance, por volta desta data.

Os quatro projéteis lançados na quinta-feira, supostamente do modelo KN-01, foram lançados de Sinsang-ri, na mesma região do teste de hoje, e cobriram uma distância de perto de 100 quilômetros.

Este é o segundo lançamento de mísseis feito pela Coreia do Norte desde que o Conselho de Segurança das Nações Unidas impôs novas e mais duras sanções ao regime comunista por seu segundo teste nuclear, realizado em 25 de maio.

No último dia 23, o Governo norte-coreano avisou o Japão que iria proibir até o dia 10 de julho o trânsito de navios na mesma zona do Mar do Japão próxima a sua costa onde ocorreram os últimos lançamentos, porque previa realizar exercícios militares.

O Governo sul-coreano considerou ontem que o lançamento da quinta-feira faz parte destes exercícios, mas não descartou a possibilidade de que se trate de uma reação contra a pressão internacional contra o país comunista. EFE ce-icr/bba/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG