Coreia do Norte inicia julgamento de jornalistas americanas

Seul, 4 jun (EFE).- A Coreia do Norte deve iniciar hoje o julgamento de duas jornalistas americanas detidas em março em sua fronteira com a China, sob a acusação de atos hostis e entrada ilegal em seu território.

EFE |

Em maio, o regime comunista de Pyongyang anunciou que as duas mulheres seriam julgadas a partir de hoje no tribunal central norte-coreano, de acordo com a acusação apresentada em abril por essas acusações, que poderiam culminar em até 10 anos de trabalhos forçados.

Laura Ling e Euna Lee, que trabalham para o veículo digital "San Francisco Current TV", foram detidas no dia 17 de março na fronteira do país comunista com a China enquanto gravavam imagens para um documentário sobre tráfico de mulheres norte-coreanas.

No final de março, a Coreia do Norte anunciou que as acusaria de "entrada ilegal e atos hostis, com base nos documentos sobre seus crimes", obtidos nas investigações e nas declarações das próprias jornalistas.

Funcionários do Governo de Seul consultados pela agência "Yonhap" consideram que a sentença poderia ser conhecida hoje mesmo, mas o regime comunista não fez nenhum comentário ao respeito.

Acredita-se ainda que o julgamento terminará sem apelações, por acontecer no alto tribunal norte-coreano.

Analistas locais assinalaram que o mais importante é saber se a Coreia do Norte vai colocar em liberdade as jornalistas mesmo com uma condenação, o que poderia influir no futuro das relações com os Estados Unidos.

Os analistas acreditam que Pyongyang está enviando vários sinais para dialogar diretamente com o Governo do presidente Barack Obama, apesar de as relações bilaterais continuarem envolvidas em meio a provocações da Coreia do Norte. EFE ce/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG