Coreia do Norte diz que trocaria armas nucleares por segurança

LONDRES (Reuters) - A Coreia do Norte desistiria de suas armas nucleares se sua soberania fosse respeitada e não enfrentasse uma ameaça nuclear, disse o embaixador do país na Grã-Bretanha, Ja Song Nam, nesta segunda-feira. Ao mesmo tempo, o diplomata reclamou que o mundo tem dois pesos em relação à Coreia do Norte e disse duvidar que possa haver paz e segurança genuínas enquanto essa situação persistir.

Reuters |

O Conselho de Segurança da ONU aprovou mais um pacote de sanções e um embargo comercial e de armas contra a Coreia do Norte em junho, depois que Pyongyang realizou um teste nuclear no dia 25 de maio.

A China disse nesta segunda-feira que seu primeiro-ministro, Wen Jiabao, irá visitar a reclusa Coreia do Norte na próxima semana, despertando especulações de que a viagem possa reativar as conversas de paz com as potências mundiais para encerrar as ambições nucleares de Pyongyang.

A rejeição da Coreia do Norte das conversas com a vizinha Coreia do Sul, China, Japão, Rússia e os EUA não significa que o país não deseja a desnuclearização da península, disse o embaixador Ja.

"Se nossa soberania for respeitada e não houve ameaça nuclear contra nosso país, as armas nucleares da República Democrática da Coreia do Norte se irão", disse ele.

O embaixador acrescentou ver ambiguidade em questionar os testes nucleares de "um certo país" quando potências nucleares estabelecidas já realizaram cerca de dois mil testes.

(Reportagem de Adrian Croft)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG