com sucesso um segundo teste nuclear - Mundo - iG" /

Coreia do Norte diz que realizou com sucesso um segundo teste nuclear

Seul - A Coreia do Norte afirmou nesta segunda-feira que realizou com sucesso seu segundo teste nuclear, informou a agência estatal norte-coreana KCNA citada pelo sul-coreana Yonhap. O primeiro, foi realizado em outubro de 2006.

EFE |

"Como tinham solicitado nossos cientistas e técnicos, nossa República levou a cabo com sucesso outro teste nuclear subterrâneo neste 25 de maio, como parte das medidas para fortalecer seu poder nuclear em defesa própria", disse a "KCNA".

O presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, reuniu de urgência seu Conselho de Segurança Nacional, depois que seu Governo informou que tinha acontecido um "terremoto artificial" no país comunista.

A Agência Meteorológica do Japão também detectou ondas sísmicas procedentes da Coreia do Norte nesta manhã (hora local), segundo um porta-voz do Ministério de Exteriores japonês citado pela agência local "Kyodo".

O Instituto Geológico dos Estados Unidos informou por sua parte que um terremoto de 4,7 graus de magnitude na escala aberta de Richter sacudiu hoje a Coreia do Norte, sem que se tenham reportado até o momento, nem vítimas nem danos.

O terremoto teria acontecido, segundo esse instituto, a 375 quilômetros a nordeste de Pyongyang às 9h54 (21h54 de Brasília do domingo), a cerca de 10 quilômetros sob a superfície terrestre.

O porta-voz da Casa Presidencial sul-coreana, Lee Dong-kwan, disse também que às 9h54 seu Governo detectou um "terremoto artificial" perto de Poongkye-ri, na província Norte de Hamkyong.

"O Governo está ainda tentando verificar se se tratou na realidade de um teste nuclear, mas acredita que há uma possibilidade", informou o porta-voz oficial sul-coreano.

O regime comunista norte-coreano tinha ameaçado no dia 29 de abril a levar a cabo um teste nuclear depois que o Conselho de Segurança da ONU condenou seu lançamento de um foguete de longo alcance no dia 5 de abril.

A Coreia do Norte realizou seu primeiro teste nuclear em outubro de 2006, três meses após lançar vários mísseis, entre eles um Taepodong de longo alcance, e isso lhe acarretou sanções e a condenação das Nações Unidas.

Sanções

A Coreia do Sul e o Japão pedirão ao Conselho de Segurança (CS) da ONU que imponha sanções contra a Coreia do Norte depois do teste nuclear norte-coreano.

Assim concordaram hoje os ministros de Exteriores sul-coreano, Yu Myung-hwan, e japonês, Hirofumi Nakasone, que paricipam em Hanói (Vietnã) da reunião do Fórum Ásia-Europa (Asem).

"Soubemos que a Coreia do Norte efetuou um teste nuclear pela segunda vez, portanto vamos responder de maneira responsável.

Definitivamente temos que fazê-lo perante o Conselho de Segurança da ONU", disse Kazuo Kodama, porta-voz do Ministério de Exteriores japonês.

"Pediremos ao Conselho de Segurança que organize uma reunião de urgência sobre este assunto o mais breve possível", acrescentou por sua parte uma fonte da delegação sul-coreana que preferiu se manter no anonimato.

Fontes sul-coreanas asseguraram também que Yu discutirá o tema com seus colegas de outras nações, incluindo Rússia e China, também em Hanói para participar da cúpula da Asem.

O ministro sul-coreano já tinha planejado abordar a proliferação nuclear na Coreia do Norte em discurso que ia fazer durante a cúpula, mas o teste nuclear realizado por Pyongyang esta manhã precipitou uma declaração neste sentido.

O Governo japonês já solicitou uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU após o lançamento de um foguete de longo alcance por parte da Coreia do Norte, no dia 5 de abril.

Após vários dias de debates, o Conselho condenou o teste e exortou o regime comunista para que não repetisse ações desse tipo.

No entanto, a Coreia do Norte não se intimidou e em 29 de abril ameaçou realizar seu segundo teste nuclear. Hoje o fez.

Cerca de 30 chanceleres dos 43 países-membros do Asem participam desde esta manhã na cúpula de ministros de Exteriores do fórum, uma iniciativa dedicada a impulsionar a cooperação entre ambos os continentes.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do nortecoréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG