Coreia do Norte diz que processou mais plutônio

A Coreia do Norte anunciou nesta terça-feira que completou o reprocessamento de uma quantidade de plutônio que seria suficiente para a fabricação de mais uma arma atômica, um dia após declarar que os Estados Unidos devem responder rapidamente se concordam com negociações bilaterais para resolver a questão nuclear norte-coreana. Finalizamos erm agosto o reprocessamento de 8 mil barras de combustível nuclear e conseguimos progressos notáveis na utilização do plutônio extraído para armamentos, disse a agência oficial de notícias da Coreia do Norte.

BBC Brasil |

Analistas dizem acreditar que a quantidade é suficiente para a fabricação de uma arma.

Acredita-se que a Coreia do Norte possua plutônio suficiente para pelo menos seis armas nucleares mas o país ainda não teria tecnologia para fabricá-las em tamanho pequeno o suficiente para que elas fossem acopladas a mísseis.

Direto com os EUA
A Coreia do Norte há tempos insiste em negociar diretamente com os EUA, ao invés do grupo de seis integrantes que negociava sua questão nuclear (Coreia do Sul, Rússia, China, ONU, União Europeia e Estados Unidos).

Analistas acreditam que o regime comunista julga que uma negociação apenas com o governo americano aumentaria suas chances de conseguir concessões e garantir a sobrevivência do regime, que enfrenta graves problemas econômicos.

Os EUA afirmaram que concordariam em conversas bilaterais com os norte-coreanos se estas facilitarem a retomada das negociações do grupo de seis.

No último mês de abril, a Coreia do Norte abandonou as negociações do Grupo dos Seis.

Um mês depois, em maio, o governo norte-coreano anunciou ter conduzido com sucesso um teste nuclear, aumentando ainda mais a tensão na península coreana.

Em fevereiro de 2007, a Coreia do Norte concordou em abandonar seu programa nuclear em troca de auxílio econômico e concessões políticas.

Em junho deste mesmo ano ela fechou o reator de Yongbyon, mas as negociações foram interrompidas após discordâncias em relação ao modo como o desmantelamento do programa nuclear seria verificado.

Depois disso, Pyongyang adotou uma postura mais beligerante, fazendo testes de mísseis de longo-alcance e efetuando um segundo teste nuclear.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG