Coreia do Norte critica resolução da ONU sobre direitos humanos

País qualifica decisão como "complô político" dirigido pelos Estados Unidos para derrubar o seu regime comunista

EFE |

SEUL - A Coreia do Norte criticou neste sábado a resolução das Nações Unidas que censura a situação dos direitos humanos no país comunista, à qual qualificou de um "complô político" dirigido pelos Estados Unidos para derrubar o seu regime.

Na quinta-feira, a Assembleia Geral da ONU voltou a adotar um documento no qual expressa sua "profunda preocupação" pelas denúncias sobre a violação "sistemática" e "generalizada" na Coreia do Norte dos "direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais".

Em resposta a essa resolução, que a ONU adota anualmente desde 2005, um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores norte-coreano disse se tratar de um "produto de um complô político das forças hostis", segundo informou a agência oficial "KCNA".

"As forças hostis lideradas pelos Estados Unidos organizam este complô a cada ano com o objetivo de derrubar o regime" na Coreia do Norte, acrescentou o porta-voz oficial do país comunista.

A Coreia do Norte, um regime ditatorial dirigido por Kim Jong-il, é considerado um dos países do mundo onde existem mais violações contra os direitos humanos. Entre elas, a resolução da ONU citou torturas, execuções extrajudiciais, detenções arbitrárias e penas sem as devidas garantias judiciais.

* Com EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG