Seul, 11 jan (EFE).- A Coréia do Norte acusou hoje o presidente da Coréia do Sul, Lee Myung-bak, de fomentar uma política de confronto entre os dois países, segundo o semanário norte-coreano Tongil Shinbo, citado pela Yonhap.

Trata-se da primeira acusação deste tipo que a Coréia do Norte faz este ano, após ter reiterado continuamente durante 2008 que o país vizinho praticava uma "política de confronto", especialmente acentuada desde a chegada ao poder do conservador Lee.

O semanário norte-coreano, considerado um dos principais meios de propaganda deste regime comunista para o estrangeiro, criticou a mensagem de Ano Novo de Lee, no qual o líder disse que seu Governo está preparado para trabalhar "de forma acalmada e flexível" para solucionar os problemas com a Coréia do Norte.

Em sua mensagem, Lee pediu à Coréia do Norte para abandonar sua "prática habitual" de criar tensões com o Sul e a encorajou a ser mais "cooperativa".

Segundo o "Tongil Shinbo", as declarações de Lee "revelam uma tentativa de passar (a Pyongyang) a responsabilidade da deterioração das relações entre o Norte e o Sul e de continuar uma política contra a Coréia do Norte durante este ano". EFE ce-icr/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.