Coreia do Norte condena americano a 8 anos de trabalhos forçados

Seul, 7 abr (EFE).- A Coreia do Norte condenou hoje a oito anos de trabalhos forçados um americano preso desde janeiro por entrada ilegal em seu território e hostilidade ao regime comunista, informa hoje a agência oficial de notícias local KCNA.

EFE |

Segundo a agência, o julgamento ocorreu ontem e contou com a presença de um funcionário da Embaixada da Suécia em Pyongyang, encarregada dos assuntos consulares dos EUA - os americanos não mantêm relações diplomáticas com o regime do ditador Kim Jong-il.

O americano, identificado como Aijalon Mahli Gomes, foi detido em 25 de janeiro por entrada ilegal na Coreia do Norte pela fronteira com a China.

A informação da "KCNA", reproduzida pela agência de notícias sul-coreana "Yonhap", acrescenta que Aijalon, um antigo professor de inglês, assumiu todas as acusações.

Em dezembro, o missionário americano Robert Park, de 28 anos, tentou cruzar ilegalmente a fronteira na véspera de Natal e também foi detido. Ele, porém, foi liberado em fevereiro após, segundo o regime comunista, "mostrar arrependimento".

Ademais, duas jornalistas americanas foram detidas há um ano na fronteira com a China enquanto gravavam um documentário. Ambas foram condenadas a 12 anos de prisão e trabalhos forçados, mas foram libertadas graças à mediação do ex-presidente Bill Clinton. EFE ce/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG