Coreia do Norte começa a abastecer foguete que pretende lançar

Pyongyang receberá especialistas internacionais para acompanhar lançamento em abril; EUA suspenderam ajuda alimentar ao país

iG São Paulo |

Depois do anúncio de que os Estados Unidos suspenderam a ajuda alimentar prevista para a Coreia do Norte, o governo norte-coreano começou a injetar combustível nos tanques do foguete que pretende lançar em meados de abril, apesar dos pedidos da comunidade internacional para que renuncie ao projeto.

"O lançamento se aproxima. É provável que ocorra entre 12 e 13 de abril", revelou uma fonte ligada ao governo norte-coreano ao jornal japonês Tokyo Shimbun. Em Seul, o ministério da Defesa sul-coreano não quis comentar a notícia.

Leia também: EUA e China concordam em resposta conjunta a foguete norte-coreano

A Coreia do Norte anunciou em meados de março o lançamento de um foguete para colocar em órbita um satélite de observação de uso civil, mas EUA e seus aliados encaram a operação como um teste de míssil balístico de longo alcance, e exigem seu cancelamento.

Na terça-feira, o regime norte-coreano afirmou que jamais abandonará o direito de lançar "um satélite pacífico", e convidou especialistas da Nasa a assistir a operação.

O anúncio norte-coreano foi feito poucos dias depois de Pyongyang ter se comprometido com Washington a cumprir uma moratória sobre os lançamentos de mísseis, testes nucleares e atividades de enriquecimento de urânio em troca de uma ajuda alimentar.

O acordo parece agora congelado. Para o subsecretário de Defesa para Assuntos da Ásia e do Pacífico americano, "reflete sua falta de desejo de cumprir com seus compromissos internacionais, portanto nos vimos forçados a suspender a ajuda alimentar que fornecemos".

Problema crônico

A Coreia do Norte sofre com falta de alimentos crônica. Na segunda metade dos anos 90, centenas de milhares de pessoas morreram de fome no país, segundo várias ONGs.

A agência oficial norte-coreana KCNA anunciou que o satélite que será lançado permitirá ao país uma avaliação melhor das plantações e compilar dados meteorológicos.

Em uma tentativa de amenizar as críticas internacionais, a Coreia do Norte anunciou nesta quinta-feira que receberá especialistas e jornalistas estrangeiros nas instalações desde as quais pretende lançar o foguete para colocar o satélite em órbita.

De acordo com comunicado da agência estatal do país KCNA, os convidados poderão acompanhar o lançamento de uma plataforma da província noroeste de Pyongan do Norte.

Nos primeiros dados técnicos revelados sobre o lançamento, o regime comunista especificou que o satélite impulsionado por um foguete de longo alcance percorrerá a órbita terrestre a uma altitude de 500 quilômetros durante dois anos.

O satélite terá peso de 100 quilos e estará equipado com câmeras para observações meteorológicas e prospecção de recursos naturais, de acordo com o regime de Pyongyang.

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: coreia do nortepyongyangfoguetesatélitejapãocoreia do suleuaonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG