Coreia do Norte celebra 61 anos de regime

Seul, 9 set (EFE).- A Coreia do Norte celebra hoje o 61º aniversário de sua fundação como país comunista com um desfile militar que ainda não tem a confirmação da presença do ditador, Kim Jong-il, que não esteve presente na homenagem do ano passado, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

Kim destacou em reunião realizada ontem em Pyongyang a necessidade de buscar vias para reforçar a liderança da Coreia do Norte sob o comando da Comissão Nacional de Defesa.

Às vésperas do aniversário da nação, a Coreia o Norte ressalta o papel da Comissão Nacional de Defesa, principal órgão militar presidido pelo líder norte-coreano que controla 1,2 milhões de militares.

Não é habitual que a Coreia do Norte faça pública a postura da Comissão de Defesa, um órgão que se viu reforçado em abril passado com a ampliação do número de seus membros e do que faz parte o cunhado do governante, Jang Song-thaek.

O primeiro-ministro da Coreia do Norte reafirmou, na Televisão Central norte-coreana, que a reunificação é o maior desafio do povo coreano e que o país apóia os acordos alcançados nas duas cúpulas intercoreanas.

Sobre a comunidade internacional, o primeiro-ministro norte-coreano disse que seu país promoverá a paz e se oporá à agressão e à guerra.

Nesta ocasião, Pyongyang não criticou a Coreia do Sul nem os Estados Unidos.

Segundo a agência estatal norte-coreana KCNA, o presidente da China, Hu Jintao, enviou a mensagem de felicitação ao líder norte-coreano por causa do aniversário. EFE ce/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG